Mostrando postagens com marcador -Ireland / Irlanda-. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador -Ireland / Irlanda-. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Fruupp - Modern Masquerades [1975] - United Kingdom / Reino Unido


Esotérico, o quarto e último álbum do Fruupp "Modern Masquerades", têm na qualidade a sua excelência, proporcionando pura musicalidade.  Inspirado no conto de Mervyn Peake, "Gormenghast", uma fantasia sobre um reino isolado por circunstâncias geográficas que o tornam inacessível, o castelo e estrutura social de Gormenghast assumem o papel central na estória e os personagens alternam momentos de destaque sem serem protagonistas. Busca interpretar o conceito filosófico da obra. Estimulante, alegre e jovial, o álbum agrada em sua totalidade, obtendo as melhores referências da crítica em geral . A partir da base sólida do baterista Martin Foye e seu parceiro, o baixista e vocalista Peter Farrelly, conta ainda com o ingresso do tecladista John Mason que substitui Stephen Houston, demonstrando ser muito técnico, preciso e elegante (especialmente seu trabalho no piano elétrico que é realmente impressionante), conferindo toda a harmonia do conjunto, enquanto o excelente guitarrista Vince McCusker, provê a matéria-prima, definido o rumo de cada melodia.

Hoje em dia considerado uma obra-prima do Fruupp, bem como do Rock Progressivo, cativou nada menos que o multi-instrumentista Ian McDonald um dos fundadores do King Crimson, que não só produziu este registro, como contribui participando como músico, abrilhantando ainda mais esta joia rara e preciosa.

As duas primeiras faixas prenunciam que este será um evento ainda mais agradável, com reflexões de um Progressivo feito com paixão. Num momento difícil ao seu país, proporcionaram alegria através de sua música vibrante, isto quando a apatia e ódio governaram esta parte do globo. De fato fizeram, e merecem o reconhecimento e respeito, sendo a melhor banda que o Rock Progressivo Irlandês já conheceu. Boa audição!.


Tracks:
1. Misty morning way (6:55) 
2. Masquerading with dawn (7:15) 
3. Germenghast (10:46) 
4. Mistery might (8:20) 
5. Why (4:08) 
6. Janet planet (2:54) 
7. Sheba's song (8:26)
Time: 48:42

Musicians:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- John Mason / keyboards, vibes, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Format: mp3 (320 kbps) = 115 mb = Yandex
Format: flac (image) = 317 mb = Mega

Fruupp - Modern Masquerades [1975] - United Kingdom / Reino Unido


Esotérico, o quarto e último álbum do Fruupp "Modern Masquerades", têm na qualidade a sua excelência, proporcionando pura musicalidade.  Inspirado no conto de Mervyn Peake, "Gormenghast", uma fantasia sobre um reino isolado por circunstâncias geográficas que o tornam inacessível, o castelo e estrutura social de Gormenghast assumem o papel central na estória e os personagens alternam momentos de destaque sem serem protagonistas. Busca interpretar o conceito filosófico da obra. Estimulante, alegre e jovial, o álbum agrada em sua totalidade, obtendo as melhores referências da crítica em geral . A partir da base sólida do baterista Martin Foye e seu parceiro, o baixista e vocalista Peter Farrelly, conta ainda com o ingresso do tecladista John Mason que substitui Stephen Houston, demonstrando ser muito técnico, preciso e elegante (especialmente seu trabalho no piano elétrico que é realmente impressionante), conferindo toda a harmonia do conjunto, enquanto o excelente guitarrista Vince McCusker, provê a matéria-prima, definido o rumo de cada melodia.

Hoje em dia considerado uma obra-prima do Fruupp, bem como do Rock Progressivo, cativou nada menos que o multi-instrumentista Ian McDonald um dos fundadores do King Crimson, que não só produziu este registro, como contribui participando como músico, abrilhantando ainda mais esta joia rara e preciosa.

As duas primeiras faixas prenunciam que este será um evento ainda mais agradável, com reflexões de um Progressivo feito com paixão. Num momento difícil ao seu país, proporcionaram alegria através de sua música vibrante, isto quando a apatia e ódio governaram esta parte do globo. De fato fizeram, e merecem o reconhecimento e respeito, sendo a melhor banda que o Rock Progressivo Irlandês já conheceu. Boa audição!.


Tracks:
1. Misty morning way (6:55) 
2. Masquerading with dawn (7:15) 
3. Germenghast (10:46) 
4. Mistery might (8:20) 
5. Why (4:08) 
6. Janet planet (2:54) 
7. Sheba's song (8:26)
Time: 48:42

Musicians:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- John Mason / keyboards, vibes, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Format: mp3 (320 kbps) = 115 mb = Yandex
Format: flac (image) = 317 mb = Mega

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Fruupp - The Prince Of Heaven's Eyes [1974] - Reino Unido / United Kingdom



Um álbum conceitual sublime.

Simplificando, se você pode ouvir um álbum inteiro várias vezes e desfrutar de cada momento, então esse álbum é uma obra-prima. Tais palavras poderiam ser ditas do terceiro álbum do Fruupp, que é um álbum que está muito bem apresentado, bem equilibrado e incrivelmente original.

Sim, este é um álbum conceitual; um álbum que segue uma história real. A história em si pode ser adquirida a partir das letras, ou lidas no folheto de 14 páginas que acompanha o álbum. O folheto, escrito por Paul Charles, é bem escrito e cativante, contando contos de um personagem chamado Mud Flanigan e suas aventuras mágicas na Irlanda rural. Realmente é uma leitura muito interessante, e dá conta da história muito mais do que a música. A música, em vez de contar a história novamente, é simplesmente baseada nele, como se fosse uma trilha sonora. De acordo com o encarte, havia canções que não foram incluídas no álbum, como eles teriam feito isso por muito tempo para o vinil. Estas canções teria provavelmente concretizado outras partes da história.

A música aqui é simplesmente brilhante. A faixa de abertura, "It's All Up Now" é uma abertura perfeita, natural para este álbum. A introdução instrumental é emocionante e progressiva, mantendo a beleza. Quando o canto começa, a linha de baixo é absolutamente maravilhosa. As letras, especialmente na seção do meio, são clássicas. Um grande começo para um grande álbum.

"The Prince of Darkness" é uma curta cantiga, mas mesmo assim progressiva. Peter Farrelly faz um trabalho impressionante soando como duas pessoas diferentes, a fim de expressar diferentes pontos de vista. Sua voz soa muito parecido com o sotaque inconfundível de Peter Gabriel.

"Jaunting Car" é um curto mas doce instrumental, com um efeito de sintetizador que me lembra dos jogos Pokémon.

"Annie Austere" pode ser uma das melhores canções de amor Prog que eu já ouvi (não que há muitas). Indiscutivelmente a melhor parte dessa música é a seção do meio, onde as letras são extremamente românticas, e falam de casamento. Esta canção termina o primeiro lado do álbum com um tema que é retomado no início do segundo lado; um truque muito puro, de fato.

Depois de ouvir a reprise acima mencionado, ouvimos a curta, mas ainda romântica "Knowing You". Não há muito a dizer sobre este título, exceto que ele fornece uma boa introdução para o segundo lado do álbum.

"Cristal Brook" segue em frente a partir da faixa anterior, mas aos 8 minutos, isso é um assunto muito mais Progressivo. Não há absolutamente nada para não gostar, os instrumentais, as letras, os riffs, os solos, a dinâmica, tudo parece perfeito aqui.

"Seaward Sunset" é uma pista curta, mas é bonita o suficiente para passar o tempo com ela. Eu não tenho certeza de quem canta aqui, mas quem quer que seja pode puxar uma voz muito alta. Canção muito bonita.

"The Perfect Wish" é uma canção em duas partes. Depois de um instrumental a la Camel longo vem alguns ritmos muito Progressivas com o canto por cima. A trilha termina com uma bela poderoso solo, guitarra que provoca arrepios na espinha. Este é o tipo de final sinfônica que eu não tenho nenhum problema de esperar 40 minutos para ouvir, porque é muito bom.

A última faixa, "Prince of Heaven", demonstra o mesmo padrão do resto do disco, com ritmos bem estruturados e letras muito bem construídas. 

Disco altamente Recomendado. Vale e muito o download.

Tracks:
1. It's all up now (7:20) 
2. Prince of darkness (3:48) 
3. Jaunting car (2:23) 
4. Annie Austere (5:14) 
5. Knowing you (2:46) 
6. Crystal brook (7:58) 
7. Seaward sunset (3:08) 
8. The perfect wish (9:49) 
9. Prince Of Heaven (3:31)
Time: 45:57

Musicians:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- Stephen Houston / keyboards, oboe, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Format: flac (image) = 340 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) =  107 mb = Yandex

Fruupp - The Prince Of Heaven's Eyes [1974] - Reino Unido / United Kingdom

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Fruupp - Seven Secrets [1974] - Reino Unido / United Kingdom



FRUUPP (que nome estranho!) lançou um bom álbum de estréia e este teve segundo disco teve que confirmar se a banda seria igual ao seu trabalho de estréia ou não. 

A longa abertura instrumental de "Faced with Shekinah", Folk e Jazzy não é nada do outro mundo e só começa a ser interessante nos últimos três minutos durante a exibição de um clima totalmente "Trespass-esque", o que prende muito a sua atenção.

A orientação Jazzy é muito evidente durante a maior parte de "Wise as wisdom". em contraponto ao Prog Sinfônico de sua estréia. Em um período tão curto de tempo (uma questão de meses), seu som soa bem diferente.  E este estado de espírito é totalmente a bordo novamente durante a parte final de "White Eyes". Música Jazz tranquila. 

"Garden Lady" realmente não rompe com o gênero Jazz; mas, pelo menos, Vincent McKusker vai lançar um grande solo de guitarra. 

O mesmo sentimento letárgico prevalece durante a canção Folk "Three Spires". 

"Elizabeth" tem um começo medieval e uma parte vocal bem melodramática. 

Este álbum deveria ter sido intitulado "Six Secrets", já que a faixa de encerramento (a sétima) e que dá título ao disco, dura apenas 68 segundos (oh!!). Praticamente inútil.

O álbum tem algum sotaque irlandês com um som influenciado pelo Folk e Jazz, com um grande órgão na maioria das músicas, e um uso muito especial da Oboé.  Não tem um som criativo, é verdade, mas com certeza este álbum pode ser um ótimo complemento para os amantes de Prog, especialmente os amantes de Prog-Folk.




Tracks:
1. Faced with Shekinah (8:23) 
2. Wise as wisdom (7:07) 
3. White eyes (7:16) 
4. Garden lady (9:00) 
5. Three spires (5:00) 
6. Elizabeth (7:45) 
7. The seventh secret (1:08)
Time: 45:39

Musicians:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- Stephen Houston / keyboards, oboe, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Format: flac (image + cue) = 301 mb = Mega / pass = progfriends
Format: mp3 (320 kbps) =  106 mb = Narod

Fruupp - Seven Secrets [1974] - Reino Unido / United Kingdom


terça-feira, 20 de maio de 2014

Horslips - The Book of Invasions: A Celtic Symphony [1976] - Ireland / Irlanda


Banda de folk-prog de ​​Dublin com seu sexto álbum (nr. 39 na parada britânica de álbuns). É um álbum conceitual baseado na lenda irlandesa do século XII (Lebor Gabála Érenn, que em Inglês é "O Livro das Invasões",  e define as origens míticas e a história do povo irlandês desde a criação até a Idade Média ... Álbum sinfônico e de muito bom gosto.


Tracklist:
- 1st Movement - Geantraí
01. Daybreak - 2:30
02. March Into Trouble - 0:51
03. Trouble (with A Capital T) - 3:24
04. The Power And The Glory - 3:56
05. The Rocks Remain - 2:48
06. Dusk - 0:38
07. Sword Of Light - 4:56
08. Dark - 1:36
- 2nd Movement - Goltraí
09. Warm Sweet Breath Of Love - 3:26
10. Fantasia (My Lagan Love) - 2:55
11. King Of Morning, Queen Of Day - 4:30
3rd Movement - Suantraí
12. Sideways To The Sun - 4:46
13. Drive The Cold Winter Away - 0:35
14. Ride To Hell - 4:07
Total Time: 41:03

Personnel:
- Charles O'Connor - fiddle, mandolin, concertina, vocals
- Jim Lockhart - keyboards, flute, whistles
- Barry Devlin - bass, vocals
- John Fean - guitar, vocals
- Eamon Carr - drums, percussion
+
- Alan O'Duffy, Horslips - producers

Format: flac (tracks + cue) = 882 mb = Torrent
Format: mp3 (320 kbps) = 97,6 Мb = Narod

Horslips - The Book of Invasions: A Celtic Symphony [1976] - Ireland / Irlanda


Banda de folk-prog de ​​Dublin com seu sexto álbum (nr. 39 na parada britânica de álbuns). É um álbum conceitual baseado na lenda irlandesa do século XII (Lebor Gabála Érenn, que em Inglês é "O Livro das Invasões",  e define as origens míticas e a história do povo irlandês desde a criação até a Idade Média ... Álbum sinfônico e de muito bom gosto.


Tracklist:
- 1st Movement - Geantraí
01. Daybreak - 2:30
02. March Into Trouble - 0:51
03. Trouble (with A Capital T) - 3:24
04. The Power And The Glory - 3:56
05. The Rocks Remain - 2:48
06. Dusk - 0:38
07. Sword Of Light - 4:56
08. Dark - 1:36
- 2nd Movement - Goltraí
09. Warm Sweet Breath Of Love - 3:26
10. Fantasia (My Lagan Love) - 2:55
11. King Of Morning, Queen Of Day - 4:30
3rd Movement - Suantraí
12. Sideways To The Sun - 4:46
13. Drive The Cold Winter Away - 0:35
14. Ride To Hell - 4:07
Total Time: 41:03

Personnel:
- Charles O'Connor - fiddle, mandolin, concertina, vocals
- Jim Lockhart - keyboards, flute, whistles
- Barry Devlin - bass, vocals
- John Fean - guitar, vocals
- Eamon Carr - drums, percussion
+
- Alan O'Duffy, Horslips - producers

Format: flac (tracks + cue) = 882 mb = Torrent
Format: mp3 (320 kbps) = 97,6 Мb = Narod

domingo, 4 de maio de 2014

Fruupp - Future Legends [1973] - United Kingdom / Reino Unido


Disco de estréia desta ótima banda irlandesa liderada pelo excelente guitarrista Vincent McCusker, que viajou pela Inglaterra atrás de músicos capazes de ingressar na banda idealizada por ele,  porém de volta à casa, McCusker decidiu chamar músicos locais mais adequados a idéia de mesclar a sonoridade típica do folclore irlandês ao rock progressivo.

A estréia veio neste disco, onde o genial guitarrista se cerca da música do país natal e cria uma bela melodia.

"Future legends", a faixa de abertura do disco nada mais é que alguns poucos segundos de uma música típica seguida de uma canção que principia leve, cantada e vai crescendo até explodir a partir de um grito que chama a guitarra do mestre. 

"Decision" é uma canção de beleza marcante e a melodia irá se repetir por todo o disco. É uma pequena obra prima de pouco mais que seis minutos. 

Segue-se "As Day Breaks with Dawn", abrindo de leve e chegando a voz marcante, em um ritmo marcheado, seguindo a melodia, e voltando a leveza em um quase sussurro. Também é onde surge, lindamente, um oboé.

"Graveyard Epistle" é outra bela canção que segue o extraordinário padrão do álbum. Acelerada de início, quase continuando a canção anterior, vai para a leveza do canto de McCusker e para o marcante oboé que se apega aos ouvidos seguido de lindas passagens de teclados e guitarras.

"Lord of the Incubus" abre com um belo solo de guitarra e um vocal de barítono para entrar na marcação sem perda de qualidade. Destaque para os teclados e contrabaixo, e para o puro rock no centro da canção, além do lindíssimo final onde um guitarra sola mínimos acordes.

"Olde Tyme Future", grafia provavelmente de algum dialeto irlandês, que em nada perde para as anteriores, belamente executada.

"Song for a thought", a sétima canção, depois de uns trinta minutos de excelente progressivo, chega ao ápice, à máxima qualidade, com uma explosão de guitarra e bateria, depois segue viajante, e se encerra com um assombroso solo de McCusker.

Este álbum termina com quarenta segundos de folclore irlandês que todos já ouviram em centenas de outros discos, mas cabe bem demais em uma banda local, cantados em coro.

O disco de estréia da banda, apesar de um tanto tardio para os padrões da região, é lindo, obrigatório em qualquer discografia.




Track Listing:
1. Future legends (1:27) 
2. Decision (6:21) 
3. As day breaks with dawn (4:58) 
4. Graveyard epistle (6:14) 
5. Lord of the Incubus (6:20) 
6. Olde tyme future (5:33) 
7. Song for a thought (7:25) 
8. Future legends (0:47) 
Total Time: 39:05
* Note: the first 100 pressings of Future Legends included "On a Clear Day"

Line-up:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- Stephen Houston / keyboards, oboe, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Release / LabelArcàngelo ‎– ARC-7070 - Japan, 2004

Format: flac (tracks + cue) = 298 mb = Mega / pass = progfriends
Format: flac (tracks + cue) = 269 mb = Torrent
Format: mp3 (320 kbps) = 138 mb = Mega / pass = progfriends

Fruupp - Future Legends [1973] - United Kingdom / Reino Unido


Disco de estréia desta ótima banda irlandesa liderada pelo excelente guitarrista Vincent McCusker, que viajou pela Inglaterra atrás de músicos capazes de ingressar na banda idealizada por ele,  porém de volta à casa, McCusker decidiu chamar músicos locais mais adequados a idéia de mesclar a sonoridade típica do folclore irlandês ao rock progressivo.

A estréia veio neste disco, onde o genial guitarrista se cerca da música do país natal e cria uma bela melodia.

"Future legends", a faixa de abertura do disco nada mais é que alguns poucos segundos de uma música típica seguida de uma canção que principia leve, cantada e vai crescendo até explodir a partir de um grito que chama a guitarra do mestre. 

"Decision" é uma canção de beleza marcante e a melodia irá se repetir por todo o disco. É uma pequena obra prima de pouco mais que seis minutos. 

Segue-se "As Day Breaks with Dawn", abrindo de leve e chegando a voz marcante, em um ritmo marcheado, seguindo a melodia, e voltando a leveza em um quase sussurro. Também é onde surge, lindamente, um oboé.

"Graveyard Epistle" é outra bela canção que segue o extraordinário padrão do álbum. Acelerada de início, quase continuando a canção anterior, vai para a leveza do canto de McCusker e para o marcante oboé que se apega aos ouvidos seguido de lindas passagens de teclados e guitarras.

"Lord of the Incubus" abre com um belo solo de guitarra e um vocal de barítono para entrar na marcação sem perda de qualidade. Destaque para os teclados e contrabaixo, e para o puro rock no centro da canção, além do lindíssimo final onde um guitarra sola mínimos acordes.

"Olde Tyme Future", grafia provavelmente de algum dialeto irlandês, que em nada perde para as anteriores, belamente executada.

"Song for a thought", a sétima canção, depois de uns trinta minutos de excelente progressivo, chega ao ápice, à máxima qualidade, com uma explosão de guitarra e bateria, depois segue viajante, e se encerra com um assombroso solo de McCusker.

Este álbum termina com quarenta segundos de folclore irlandês que todos já ouviram em centenas de outros discos, mas cabe bem demais em uma banda local, cantados em coro.

O disco de estréia da banda, apesar de um tanto tardio para os padrões da região, é lindo, obrigatório em qualquer discografia.




Track Listing:
1. Future legends (1:27) 
2. Decision (6:21) 
3. As day breaks with dawn (4:58) 
4. Graveyard epistle (6:14) 
5. Lord of the Incubus (6:20) 
6. Olde tyme future (5:33) 
7. Song for a thought (7:25) 
8. Future legends (0:47) 
Total Time: 39:05
* Note: the first 100 pressings of Future Legends included "On a Clear Day"

Line-up:
- Peter Farrelly / bass, flute, vocals 
- Martin Foye / drums, percussion 
- Stephen Houston / keyboards, oboe, vocals 
- Vincent McCusker / acoustic & electric guitars, vocals

Release / LabelArcàngelo ‎– ARC-7070 - Japan, 2004

Format: flac (tracks + cue) = 298 mb = Mega / pass = progfriends
Format: flac (tracks + cue) = 269 mb = Torrent
Format: mp3 (320 kbps) = 138 mb = Mega / pass = progfriends

Pesquisar este blog

WORLD