Mostrando postagens com marcador greenslade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador greenslade. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Greenslade - Live in Stockholm [1975] - United Kingdom / Reino Unido


Gravado em 1975, mas não lançado no mercado até 2013, apresenta Greenslade tocando ao vivo em Estocolmo, Suécia. Na época deste concerto, a banda estava em turnê do álbum "Time And Tide", que tinha sido lançado no mesmo ano, e quatro faixas desse álbum de 1975, são apresentados aqui em Newsworth, "The Flattery Stakes", "Waltz For A Fallen Idol" e "The Ass's Ears". De 1974 "Spyglass Guest" vem "Joie de Vivre" e a excelente "Spirit Of The Dance" ambas também aparecem no "Live 1973-1975" (uma versão ao vivo de arquivo a partir de 2000). "Bedside Manners Are Extra" é representado por três faixas, incluindo a faixa-título, que também está no "Live 1973-1975", e "Pilgrim's Progress" e "Drum Folk", que não estavam. O Auto-intitulado álbum de estréia da banda não está representada por nenhuma faixa aqui.

A qualidade do som não é perfeita, mas também não é nada mal. O trabalho de arte do grande Roger Dean é muito bom e num estilo semelhante às capas dos primeiros Greenslade.
-
Format: flac (tracks) = 303 mb = Yandex / pass = makina
Format: mp3 (320 kbps) = 128 mb = Yandex / depositfiles / pass = makina

Greenslade - Live 1973-1975 [2000] - United Kingdom / Reino Unido


Uma boa introdução para se conhecer o trabalho da banda é sua excelente mistura de clássicos, jazz, rock, blues e rock sinfônico nesse álbum ao vivo "Live" (com faixas de '73 e '75), contendo a sua melhor material: composições elaboradas como "Sundance", Feathered Friends", "Bedside Manners Are Extra" and "Joie De Vivre" e um monte de inventivos e excitante duelos de teclado por Dave Greenslade e Dave Lawson. A onipresença do Mellotron é muito agradável, com ondas majestosas do violino-Mellotron (como início de KING CRIMSON) e gloriosas erupções do suntuoso coro-Mellotron. Este disco também possui uma presença espetacular de Minimoog (com pitch bend). É o mais álbum carregado teclado com remetencias a Wakeman, MANFRED MANN'S EARTH BAND e SUPERTRAMP. É um ótimo álbum, uma maravilhosa para se descobrir!


Tracks:
1. Sundance (8:10)
2. Drowning Man (5:50)
3. Feathered Friends (6:15)
4. M?lange (7:35)
5. Jie De Vivre (8:55)
6. Bedside Manners Are Extra (5:10)
7. Sundance (13:15)
8. Red Light (2:40)
9. Spirit Of The Dance (3:05)
Total Time: 59:35

Musicians:
- Dave Greenslade / keyboards
- Tony Reeves / bass
- Dave Lawson / keyboards, vocals
- Andrew McCulloch / drums

Format: mp3 (320 kbps) = size: 141 mb = Mega

Greenslade - Time And Tide [1975] - United Kingdom / Reino Unido


Este é o último lançamento de Greenslade como uma banda durante a sua trajetória nos anos 70. Tão bom quanto o álbum é, também é bastante curto, com clock com cerca de 32 minutos e apresentando 10 faixas, algumas das quais assumiram um estilo Pop. A linda artwork  por Patrick Woodroffe não foi suficiente para fazer este álbum uma obra-prima, e uma fotografia da banda ao vivo, com uma Drumkit e uma plataforma de teclado de cada lado, o que talvez sugira uma extravagância desnecessária, mas isto é frequentemente um caso comum no Prog. Com os atraentes excessos à parte, as composições são em sua maioria boas, carregadas de teclados demasiado impressionante, e uma seção rítmica sólida, desta vez com novato Martin Briley assumindo o lugar de Reeves recentemente falecido em deveres baixo e guitarra, e Andrew McCulloch é, como sempre, um grande baterista. 

As músicas são compostas pelos dois Daves - Greenslade e Lawson, por iniciativa própria, ou em conjunto. Quatro das canções aqui são instrumentais dinâmicos, "Time" (1,16), sendo um arranjo para Cravo e Coro Masculino, um pouco pomposo. '"Tide" (2.51) segue em um ritmo, com Mellotrons multi-rastreados criando uma atmosfera exuberante e majestosa.

"Catalan" (5.03) tem um clima bastante nebuloso e arranjo bastante caótico cheio de explosões altas repentinas, mas quando a música começa a avançar Lawson se transforma solando em um ARP synth. A última faixa instrumental é a última no LP, "Gangsters" (2,27) e é uma beleza.

 Doldrums" (3.42) é uma peça de jazz (como Soft Machine) e é apenas Lawson sozinho nos teclados e microfone. As demais canções do álbum são Prog e complexas trilhas Pop, mas ainda oferecem alguns grandes momentos. "The Ass's Ears" (3.21) se destaca, em particular pelos altos momentos de McCulloch. O ponto mais fraco do álbum deve ser "The Flattery Stakes"(3,57) com uma voz feminina e melodias e estruturas bastante simples .. No geral, o álbum ainda agrada os fãs mas antevê a possível decadência da qualidade de composição da banda.


Tracks:
1. Animal Farm (3:24) 
2. Newsworth (3:03) 
3. Time (1:16) 
4. Tide (2:51) 
5. Catalan (5:03) 
6. The Flattery Stakes (3:57) 
7. Waltz for a Fallen Idol (3:19) 
8. The ass's Ears (3:21) 
9. Doldrums (3:42) 
10. Gangsters (2:27)
Total Time: 32:24

Musicians:
- Dave Greenslade / keyboards (all except 1,9) 
- Dave Lawson / keyboards (sll except 3,4) 
- Martin Briley / bass, guitar, back vocal (all except 3,4,9) 
- Andrew McCulloch / drums (all except 3,4,9) 
Guests: 
- Ann Simmons / back vocal on 10 
- Jill MacIntosh / back vocal 
- Barry Morgan / timbales 
- The Treverva Male Choir Directed by Edgar Kessel

Format: mp3 (320 kbps) = 76 mb = Narod

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Greenslade - Spyglass Guest [1974] - United Kingdom / Reino Unido


"Spyglass Guest" é o terceiro álbum da banda, tão bom quanto os dois anteriores, e gravado no Morgan Studios Nr. 3 na cidade de Londres, Inglaterra em agosto de 1974. Esse disco foi o mais bem sucedido trabalho feito pela banda e chegou ao 34º lugar nas paradas musicais do Reino Unido.

Nesse disco a banda conta com convidados especiais como: o guitarrista Dave Clem Clempson ex membro do COLOSSEUM e HUMBLE PIE), o violinista escocês Graham Smith (membro do STRING DRIVEN THING e que participa apenas na faixa ""Joie de Vivre") e o guitarrista Andy Roberts. Ambos colaboraram em algumas composições deixando as suas marcas registradas nesse grandioso álbum, considerado com uma dos melhores de sua curta carreira.

Ele começa fantasticamente com o grande tema instrumental "Spirit of the Dance" utilizando de uma extravagância orientada ao teclado em um estilo similar ao de Emerson, Lake & Palmer

Na segunda faixa as coisas já tomam um outro rumo, "Little Red Fry-Up" é um número peculiar, com um vocal que me lembra um pouco GENTLE GIANT.

"Rainbow" é um, número vocal "nebuloso" e lento, muito melodioso e agradável, é uma peça curta.

"Siam Seesaw" outro tema instrumental suave com violões de bom gosto criados pelo convidado Andy Roberts, bem como a guitarra elétrica de Clem Clemson. Mais uma vez, a presença de guitarras é uma surpresa muito agradável.

"Joie de vivre" com seus 8:30 min  é muitas vezes considerada a peça central do disco, possuindo um belo som de órgão tubular de igreja feito por Greg Jackman combinando perfeitamente com o lindíssimo violino de Graham Smith, que lembra ligeiramente do som do KANSAS.

"Red Light" começa novamente lenta e descontraída, mas, em seguida, se transforma em algo mais agitado.

"Melancholic Race" evolui para um número jazzy

Finalmente, o álbum termina com uma versão cover de "Theme For An Imaginary Western", um final extraordinário para esse álbum.


Tracks:
1. Spirit of the Dance (5:08) 
2. Little red Fry-up (5:11) 
3. Rainbow (4:20) 
4. Siam Seesaw (4:43) 
5. Joie de vivre (8:25) 
6. Red Light (2:47) 
7. Melancolic Race (4:15) 
8. Theme for an Imaginary Western (3:51)
Total Time: 38:40

Musicians:
- Dave Greenslade / keyboards (1,4,5,7,8) 
- Tony Reeves / bass guitar (1,2,4,5,7,8) 
- Andrew McCulloch / drums, percussion 
- Dave Lawson / keyboards (all except 1) 
+
Guest musicians:
- Clem Clemson / electric guitar (2,4) 
- Jeremy Ensor / recorder Rainon 3 
- Andy Roberts / acoustic guitar on 4 
- Graham Smith / violin on 5 
- Gregg Jackman / recorder church noise on 5

Format: mp3 (320 kpbs) = 90 mb = Narod

sábado, 21 de junho de 2014

Greenslade - Bedside Manners Are Extra [1973] - United Kingdom / Reino Unido


GREENSLADE estava passando por um período extremamente prolífico em 1973 e durante o verão desse ano eles entraram novamente no Morgan Studios em Londres para gravar o subsequente álbum intitulado  ''Bedside manners Are extra'' lançado novamente pela Warner Bros e contou com o excelente trabalho de Roger Dean na artwork.Musicalmente o período entre o primeiro e o segundo disco foi muito curto para qualquer um que esperava quaisquer mudanças particulares no estilo. 

Entretato o novo trabalho contém Fusion/ Canterbury Sound em algumas partes instrumentais de uma música britânica fortemente Prog.É novamente focado em composições refinadas, elaboradas e diversificadas, fortemente impulsionado pela dupla de teclados realizados por Greenslade e Lawson.

Embora não seja extremamente original, o som gira em torno de enormes quebras de órgão Hammond, enormes ondas de Mellotron, sintetizadores Moog e piano elétrico suaves com um toque jazzy, no entanto as estruturas globais permanecem em uma veia sinfônica com links para o som da GENESIS, FRUUPP e os primórdios de KING CRIMSON.

Algumas faixas são lideradas por groovy agradáveis ​​e instrumentais soltos com algum tipo de abordagem da banda COLLOSEUM, embora existam alguns duelos da dupla  de teclados realmente surpreendentes, criando atmosferas bombásticas e furiosas.

"Bedside Manners Are Extra" inicia o disco belissimamente, uma música que fala à alma e ao mesmo tempo é "feliz" e "para cima", a emoção à flor da pele em um belo vocal desde o início. A voz de Dave Lawson é um dos destaques da trilha, junto com os teclados de Dave Greenslade e Tony Reeves no baixo. Uma música alegre e ao mesmo tempo cheio de melancolia (se isso é possível). 

"Pilgrims Progress", um progressivo instrumental no melhor estilo Emerson, Lake & Palmer em "Hoedown", destaques para os teclados, a "dança" progressiva na escola do alemão TRIUMVIRAT. Se desenvolve em uma melodia agitada e alegre. Apresentada na linha "low-end", simples e muito bem tocada.

"Tune To The Dream" começa como um "samba progressista" (é claro, de uma maneira inglesa), e então, as mudanças para uma linha vocal funcionam muito bem, os vocais de Dave Lawson são maravilhosos, e lhe deu uma terra de teclados e inspirado com timbres originais. Um teclado Jazzificado (meio árabe) fecha a primeira parte do disco.

"Drum Folk" se destaca pelo impacto de Andrew McCulloch (com um solo muito interessante lá, pelo meio da canção), e dá-lhe mais ondas de teclados, com o já conhecido trabalho de melodias que todo tecladista de valores "progressistas" deve ter, em seguida atravessa por uma sensação de estar na Terra do "Senhor dos Anéis" lembrando de terras distantes. 8'53 de muitos solos e melodias.

"Sunkissed You're Not" Belo riff! E mais uma vez a bela voz, com um refrão muito cativante! Uma das melhores do disco.

"Chalkhill" agradável introdução de baixo! seguida por uma bateria perfeita casando-se com o som do  teclado de Dave Greenslade, que sabia muito bem como trabalhar os teclados deste disco. 

(Um fato curioso a salientar é que disco com certeza é que ele foi gravado ao vivo em estúdio, como algumas imperfeições aparecem no disco e não foram "maquiadas", o que na minha opinião é uma grande coisa). 

O disco termina com um piano meio "assustador"! Em resumo, este disco é muito bom, bom para os ouvidos acostumados a grandes nomes do rock progressivo. 


Tracks:
1. Bedside Manners Are Extra (6:16) 
2. Pilgrim's Progress (7:12) 
3. Time to Dream (4:46) 
4. Drum Folk (8:44) 
5. Sunkissed You're Not (6:27) 
6. Chalkhill (5:24) 
Total Time: 38:49

Musicians:
- Dave Greenslade / keyboards 
- Andy McCulloch / drums & percussions 
- Tony Reeves / bass 
- Dave Lawson / keyboards

Format: flac (cue + log) = 266 mb = depositfiles / pass = makina
Format: mp3 (320 kbps) =  91 mb = Narod

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Greenslade - Greenslade [1973] - United Kingdom / Reino Unido



Álbum de estréia do ex-membro do COLOSSEUM, o tecladista David Greenslade é uma peça essencial da história do Reino Unido no Prog dos anos 70. A banda também incluiu Dave Lawson, que antes tinha tocado com ambos WEB e SAMURAI. Como seria de esperar, a música é centrada nos teclados de Greenslade (órgão, mellotron) e Lawson (piano, sintetizadores). O Som geral é distintamente britânico no estilo rock progressivo e se encaixa na escola do YES, e por algumas vezes lembra passagens de GENTLE GIANT. As músicas são bem escritas e realizadas com grande musicalidade. O album vai certamente agradar aos fãs dos anos 70 (estilo prog britânico).


"Feathered Friends" (6:42) começa o álbum com estilo e ritmo relativamente rápidos e som de bateria muito original - é como Bruford de ou como outra banda dos anos 70 prog: ENGLAND. Teclados dominam a melodia, bem como a secção rítmica, aumentada com órgão/mellotron. Quando vocal entra na música com "What's your poison? Well here's mud in your eye".  Tem uma melodia matadora especialmente quando é combinada com sons de órgão e mellotron. O baixo também demonstra o seu papel com o seu som dinâmico especialmente durante as partes cantadas. Além disso, o mellotron é realizado excelentemente aqui. A qualidade vocal é alto nível! Excelente composição. [*****]


"An English Western" (3:25) continua com o estilo da faixa anterior: abertura energética dominada pelo órgão e bateria dinâmicas. A música representa uma música do Greenslade bem original: teclado como base, melodia flutuante com acentuação, sons de bateria originais e boa composição com alguma influência do jazz rock. Trabalho de órgão/teclado e percussão dinâmicas nesta faixa. É uma faixa instrumental excelente, com arranjos relativamente complexos. [****]


"Drowning Man" (6:40) começa com uma linha de voz suava em notas baixas de - algo incomum no estilo de cantar da banda, lembrando o vocal usando no GENTLE GIANT. A canção vai num crescente com o canto  aumentado com o trabalho do órgão e excelente linha de baixo. No final da primeira parte lírica, a música flui em um ritmo mais rápido e um "clima" edificante demonstrando excelente combinação de sons de órgão aumentado com mellotron. A bateria ainda demonstra seus sons similares aos de Bruford especialmente nos tambores que mantêm as batidas. O trabalho do órgão realmente traz de volta para os anos de glória da década de 70 a música. Excelente. [****]


"Temple Song" (3:32) começa suave com uma certa influência jazz, com ambiente vocal e combinação de grande órgão e linhas de baixo sólidas. Vibrafone é usado ao longo desta faixa. Solo de teclado/órgão no meio é apoiada com alguma orquestração. [*** ½].

"Mélange" (7:27) começa com uma música edificante com meio tempo/estilo rápido e se torna mais lenta com som mellotron e órgão em um trabalho inventivo. Bateria demonstrar a sua contribuição com som normal de taróis. O que segue é um segmento solo de baixo com seu jogo inventivo, que forma a melodia da canção. Outros instrumentos  apoiam a guitarra e o baixo solo. No meio da faixa, a música se torna mais silenciosa com baixo solando. A outra metade demonstra trabalho de mellotron, mantendo baixo dinâmico e os tambores soando com um retorno ao estilo Bruford. [****]


"What Are You Doing to Me (4:40)" abre com o trabalho de órgão no estilo relativamente rápido seguido com notas altas de vocal. É muito Greenslade! Estruturalmente, é relativamente uma faixa avançada para a época - no entanto, há algumas transições agradáveis, por exemplo, a inclusão de mellotron entre os segmentos musicais. [****]

"Sundance" (8:45) começa suave com trabalho de piano com alguma influência de musica clássica. Que segue em uma música animada que demonstra grande presença de teclado/órgão. Com uma bateria dinâmica. Novamente, as linhas de baixo são realmente grandiosas, mesmo durante a parte do solo de órgão. Esta faixa instrumental oferece alguma variação de estilos e mudanças de tempo. A parte final traz a música para um piano solo trabalhado como na sua abertura. [****]


RESUMO

Para aqueles que querem explorar os tesouros Prog Rock dos anos 70, você não deve perder este. A qualidade de gravação não é excelente, mas, o conteúdo do trabalho é grandemente bem feito. 


Tracks:
1. Feathered Friends (6:42)
2. An english Western (3:25)
3. Drowning Man (6:40)
4. Temple Song (3:32)
5. Melange (7:27)
6. What are you Doing to Me (4:40)
7. Sundance (8:45)
Total Time: 41:11

Musicians:
- Dave Greenslade / keyboards
- Dave Lawson / keyboards, vocals
- Andy McCulloch / drums, percussion
- Tony Reeves / bass guitar, double bass

Format: mp3 (320 kbps) = 95 mb = Narod

Pesquisar este blog

WORLD