Mostrando postagens com marcador happy the man. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador happy the man. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 23 de junho de 2015

Happy The Man - Better Late (3rd) - United States / Estados Unidos



É sempre um mistério que o Happy The Man permanece relativamente desconhecido em comparação com bandas como Genesis, Camel, e Focus. A instrumentação é lisa, jazzística, vistosa, mas agradável e as composições muito interessantes. Cada membro é um músico talentoso, e trabalham juntos muito bem. Fizeram um trabalho muito bom nesse álbum, e os fãs ficaram muito satisfeitos com o lançamento. Melhor ser tarde do que nunca.

Neste álbum o Happy o The Man soa semelhante a muitos gigantes do Prog Rock. "Eye of the Storm" é Jazz-Fusion e se trata de uma composição da banda Camel onde Kit Watkins é compositor também.  "At The Edge Of This Thought" é muito semelhante aos trabalhos sinfônicos pós-"Mirage" do Camel e é muito bonita. "Footwork" me lembra de Genesis, devido a pompa, é quase boba mas ainda envolvente. A banda ainda me faz lembrar de Gentle Giant com "Run into the ground", que é uma canção de Rock Progressivo muito agressiva e complexa.

Para um álbum que foi originalmente uma gravação em casa, a produção é excelente. Os instrumentos são todos muito claros, e o pouco que existe de ruídos abafam nada disso. O álbum tem uma atitude edificante incrível e é agradável de ouvir a qualquer momento. Cada canção é bem escrito, e tem um bom nível de complexidade e há uma boa variedade de sons.

O maior problema com o álbum é que as músicas não parecem se encaixar umas com as outras. Eu sinto como se estivesse ouvindo uma compilação de material inédito e não um álbum. O enorme nível de qualidade das canções trazem-no à um padrão no entanto. Stanley Whitaker tem uma voz bonita e um bom tom, mas ele é completamente desprovido de qualquer alcance maior.

Os pontos altos do álbum são "While Chrome Yellow Shine", que apresenta ótimas camadas de sintetizador. "Labyrinth", que prova que a mais delicada das bandas Prog pode jogar batendo duro o suficiente para levantar os pêlos em seu braço, e "Eye Of The Storm" com sua melodia cativante.

Em geral, o álbum é uma excelente coleção de canções, demonstrando um trabalho cheio de emoção e competência instrumental.



Tracks:
1. Eye of the Storm (3:58) 
2. The Falcon (6:09) 
3. At the Edge of This Thought (5:16) 
4. While Chrome Yellow Shine (6:10) 
5. Who's In Charge Here? (5:39) 
6. Shadow Shaping (4:25) 
7. Run Into the Ground (5:02) 
8. Footwork (4:19) 
9. Labyrinth (7:29) 
10. Such A Warm Breeze (5:08)
Time: 53:35

Musicians:
- Kit Watkins / keyboards and flute 
- Frank Wyatt / keyboards, sax, flute 
- Stanley Whitaker / guitar, vocals 
- Rick Kennell / bass 
- Coco Roussel / drums, percussion

Format: ape (image + cue) = 313 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 123 mb = Mega

Happy The Man - Better Late (3rd) - United States / Estados Unidos

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Happy The Man - Crafty Hands [1978] - United States / Estados Unidos


Formada em 1974 pelo tecladista Kit Watkins (também conhecido por rápida passagem no CAMEL), Frank Wyatt, Stan Whitaker e Rick Kennell, a banda surgiu com o nome tirado a partir de um antigo single do GENESIS. A partir de alguns contatos a banda chama a atenção de Peter Gabriel, quando consegue um bom contrato com a Arista, lançando no ano de 1977 o primeiro disco auto-intitulado "Happy the Man". Para a formação que viria a gravar "Crafty Hands", a mudança é o baterista Mike Beck que sai dando lugar ao excelente Ron Riddle.

"Crafty Hands" foi lançado em uma fase na qual o rock progressivo começava a mostrar nítidos sinais de decadência. O destaque inevitável é o trabalho do virtuoso tecladista Kit Watkins, com formação em música clássica e influenciado por Jan Hammer, junto ao baterista Ron Riddle. Happy The Man traz uma mescla de space-fusion e sofisticado progressivo sinfônico na linha de YES, CAMEL e GENTLE GIANT, arranjos com densas camadas de teclados e guitarras alternando momentos bem viajantes com quebradeiras complexas. O disco ainda é bastante marcado por compassos de divisões ternárias.

A linda Service "With A Smile" foi uma excelente escolha para abrir o disco, deixa a impressão de que um trabalho primoroso está por vir.

Bons momentos também são encontrados em "Ibby The Way It Is", "Streaming Pipes", trazendo uma sonoridade meio Dixie Dregs. Com exceção de "Wind Up Doll Day Wind", uma excelente música que lembra um pouco GENESIS, o disco é quase totalmente instrumental.

"Open Book" é uma das melhores do disco, traz lindos sons de recorder e cravo, bastante folk em uma sonoridade medieval, ao mesmo tempo complexa e viajante.

"I Forgot To Push It" traz frenéticas quebras de tempo. 

Trazendo músicos tão virtuosos, em alguns momentos estes parecem muito presos na busca de uma execução precisa, além de eventualmente buscar uma sonoridade space muito etérea e asséptica carecendo de maior energia, vibração e emoção, como acontece em "Morning Sun" e "The Moon , I Sing". 

Como pode ser observado a partir da diversidade presente em "Open Book", "Streaming Pipes" e "Wind Up Doll Day Wind", "Crafty Hands" não se mostra um disco muito coeso musicalmente, mas a qualidade das composições, a precisão e o nível técnico são mantidos sempre muito elevados. Esse disco pode não ser uma obra-prima mas certamente está entre os melhores discos produzidos nos EUA durante os anos 70 em termos de qualidade, bastante recomendado.


Tracks:
1. Service With A Smile (2:45) 
2. Morning Sun (4:05) 
3. Ibby It Is (7:53) 
4. Steaming Pipes (5:25) 
5. Wind Up Doll Day Wind (7:09) 
6. Open Book (4:54) 
7. I Forgot To Push It (3:08) 
8. The Moon, I Sing (Nossuri) (6:18)
Total Time: 41:37

Line-up:
- Stanley Whitaker / 6 and 12 string guitars, vocals 
- Frank Wyatt / pianos, harpsichord, saxes, flute, words 
- Kit Watkins / pianos, harpsichord, Moog, fake strings, clavinet, 33, recorder 
- Rick Kennell / bass 
- Ron Riddle / drums, percussion

Format: flac (image + cue) = 265 mb = Torrent
Format: flac (tracks + cue) = 238 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 96 mb = Mega


Happy The Man - Crafty Hands [1978] - United States / Estados Unidos


Formada em 1974 pelo tecladista Kit Watkins (também conhecido por rápida passagem no CAMEL), Frank Wyatt, Stan Whitaker e Rick Kennell, a banda surgiu com o nome tirado a partir de um antigo single do GENESIS. A partir de alguns contatos a banda chama a atenção de Peter Gabriel, quando consegue um bom contrato com a Arista, lançando no ano de 1977 o primeiro disco auto-intitulado "Happy the Man". Para a formação que viria a gravar "Crafty Hands", a mudança é o baterista Mike Beck que sai dando lugar ao excelente Ron Riddle.

"Crafty Hands" foi lançado em uma fase na qual o rock progressivo começava a mostrar nítidos sinais de decadência. O destaque inevitável é o trabalho do virtuoso tecladista Kit Watkins, com formação em música clássica e influenciado por Jan Hammer, junto ao baterista Ron Riddle. Happy The Man traz uma mescla de space-fusion e sofisticado progressivo sinfônico na linha de YES, CAMEL e GENTLE GIANT, arranjos com densas camadas de teclados e guitarras alternando momentos bem viajantes com quebradeiras complexas. O disco ainda é bastante marcado por compassos de divisões ternárias.

A linda Service "With A Smile" foi uma excelente escolha para abrir o disco, deixa a impressão de que um trabalho primoroso está por vir.

Bons momentos também são encontrados em "Ibby The Way It Is", "Streaming Pipes", trazendo uma sonoridade meio Dixie Dregs. Com exceção de "Wind Up Doll Day Wind", uma excelente música que lembra um pouco GENESIS, o disco é quase totalmente instrumental.

"Open Book" é uma das melhores do disco, traz lindos sons de recorder e cravo, bastante folk em uma sonoridade medieval, ao mesmo tempo complexa e viajante.

"I Forgot To Push It" traz frenéticas quebras de tempo. 

Trazendo músicos tão virtuosos, em alguns momentos estes parecem muito presos na busca de uma execução precisa, além de eventualmente buscar uma sonoridade space muito etérea e asséptica carecendo de maior energia, vibração e emoção, como acontece em "Morning Sun" e "The Moon , I Sing". 

Como pode ser observado a partir da diversidade presente em "Open Book", "Streaming Pipes" e "Wind Up Doll Day Wind", "Crafty Hands" não se mostra um disco muito coeso musicalmente, mas a qualidade das composições, a precisão e o nível técnico são mantidos sempre muito elevados. Esse disco pode não ser uma obra-prima mas certamente está entre os melhores discos produzidos nos EUA durante os anos 70 em termos de qualidade, bastante recomendado.


Tracks:
1. Service With A Smile (2:45) 
2. Morning Sun (4:05) 
3. Ibby It Is (7:53) 
4. Steaming Pipes (5:25) 
5. Wind Up Doll Day Wind (7:09) 
6. Open Book (4:54) 
7. I Forgot To Push It (3:08) 
8. The Moon, I Sing (Nossuri) (6:18)
Total Time: 41:37

Line-up:
- Stanley Whitaker / 6 and 12 string guitars, vocals 
- Frank Wyatt / pianos, harpsichord, saxes, flute, words 
- Kit Watkins / pianos, harpsichord, Moog, fake strings, clavinet, 33, recorder 
- Rick Kennell / bass 
- Ron Riddle / drums, percussion

Format: flac (image + cue) = 265 mb = Torrent
Format: flac (tracks + cue) = 238 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 96 mb = Mega


Pesquisar este blog

WORLD