Mostrando postagens com marcador kin ping meh. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador kin ping meh. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Kin Ping Meh - Kin Ping Meh [1971] [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] - Germany / Alemanha


Kin Ping Meh não é uma banda chinesa, é alemã e embora seja rotulada como Krautrock - termo deriva da palavra krauts (chucrute) que era um termo depreciativo usado para os soldados alemães na Segunda Guerra Mundial, e foi criação de John Peel, apresentador de destaque de uma estação de rádio britânico em 1968, que o utilizava para designar as bandas de rock da Alemanha Ocidental que se destacavam internacionalmente - na realidade, é uma banda de rock progressivo e hard rock formada em 1970 em Manheim (oeste de Frankfurt), cujo embrião era o grupo escolar Thunderbirds e tinha Werner Stephan nos vocais; Joachim Schafer na guitarra, piano e vocais; Fritz Schmitt no órgão e piano; Torsten Herzog no baixo e Kalle Weber na bateria. 

O nome da banda, significa ‘um ramo de flor de ameixa em um vaso de ouro’ foi retirado de um romance chinês do século 16 que retrata a vida e os costumes da época. E os integrantes tinham como modelo as bandas inglesas DEEP PURPLE, URIAH HEEP e SPOOKY TOOTH, enquadrando-se no sub_gênero Hard-Prog. Em 1970, deram o primeiro concerto e nos meses seguintes participaram de sete concursos importantes. Foram descobertos pelos caçadores de talentos da Polydor em 1971, e antes da gravação do primeiro álbum Joachim Schafer, que deixou a banda, foi prontamente substituído por Willie Wagner

Este álbum Começa com a longa faixa "Fairy Tales" (Contos de Fadas), onde os órgãos e licks de guitarra e solos lembram DEEP PURPLE, WALLENSTEIN ou BIRTH CONTROL

A seguir a lenta "Sometimes" é uma trilha com um som típico KPM, com camadas de órgãos deliciosas sublinhando os versos e guitarras queimando entre os versos e refrão. É uma bela canção que exala muita emoção. O vocal de Werner Stephan é um grande destaque com muita influência de rthyhm-blues e soul presentes em muitas bandas na época.

A terceira faixa "Don't You Know" também é um pouco longa; As seções instrumentais jam são muito boas, trazendo uma energia cheia de solos bem colocados.

"Too Many People" nos remete aquelas canções hippies típicas de reuniões a la Festival de Woodstock, com gaita, palmas, coros e um vocal "pegajoso" e repetitivo.  Destoa um pouco do resto do álbum.

As demais trilhas possuem média duração, mas não há nada realmente fascinante, mas também nada que se classifique de enfadonho. 

"Drugson's Trip" - com um ritmo bem marcado acompanhado pelo Hammond Organ e uma bateria cativante".

"My Dove" começa com Mellotron e um ritmo suave e relaxante, de repente bateria e guitarra introduzem um ritmo hipnótico e novamente a canção volta a melodia inicial, esta é uma bela canção.

"Everything" parece uma continuação da primeira faixa com um ritmo marcado pelo baixo e bateria possuindo um clima alegre e um órgão que complementa utilizando frases comuns na época.

"My Future" remete a musica tipica dos anos 60, também saindo um pouco da linha hard-prog utilizada no álbum, mas não deixa de ser uma boa trilha.

O relançamento em CD trouxe algumas boas faixas bônus, complementando essa boa estréia da banda que costuma não aparecer muito em listas de preferências alemãs da época.


Tracks:
1. Fairy-Tales (10:47)
2. Sometime (5:44)
3. Don't You Know (7:24)
4. Too Many People (4:58)
5. Drugson's Trip (5:53)
6. My Dove (3:34)
7. Everything (5:10)
8. My Future (2:42)
Bonus Tracks:
09. Everything's my way (3:22)
10. Woman (4:13)
11. Every day (4:15)
12. Alexandra (2:35)
Total Time: 60:21

Musicians:
- Werner Stephan / lead vocals
- Willie Wagner / guitar, harmonica, vocals
- Fritz Schmitt / organ, piano
- Torsten Herzog / bass
- Kalle Weber / drums

Format: mp3 (320 kbps) = 108 mb = Yandex
Format: flac (tracks + cue) = 400 mb = Torrent (cd remaster with bonus tracks)

Pesquisar este blog

WORLD